Tubemogul: o Google Analytics do Video

Muito interessante este serviço.

Chama-se Tubemogul e permite controlar as visualizações, comentários e classificações dos videos alojados na internet. Ao mesmo tempo é possível configurar o Tubemogul para fazer o upload de videos para as várias plataformas de alojamento em simultâneo. Se o futuro da internet passa pelo video, o futuro dos media online depende de um sistema de informação como este.

Este video explica bem como tudo funciona.

(uma dica 2.0 Webmania)

Anúncios

Este site é uma espécie de You Tube do “como fazer”. Qualquer pessoa pode colocar videos, desde que sejam curtos e ensinem a fazer algo. O lema do site é “5min life videopedia” e parte do princípio que as soluções para a maior parte dos problemas práticos do dia-a-dia são melhor demonstradas por imagens e que qualquer pessoa é perita em alguma coisa.  A conjugação destes dois princípios resulta no 5min, uma boa demonstração de para que servem afinal as comunidades online e a produção de conteúdos pelos próprios internautas.

Há diversas formas de fazer busca dos videos, podemos subscrever videos de um tema ou de um autor e, se optarmos pelo muito interessante Smart Player, podemos ver frame a frame ou em câmara lenta, ir directamente para determinadas secções do video e fazer zoom sobre as áreas que nos interessam. Muito, muito funcional.

(uma dica web 3.2.1)

Joost reforça conteúdos

A Joost assinou um acordo com a Viacom que lhe vei permitir alargar muito o leque de conteúdos que propõe. Segundo Dirk-Willem van Gulik serão propostas série da MTV como Laguna
Beach, Beavis & Butthead, Real World, Punk’d e My Super Sweet Sixteen; assim como da Comedy Central, tais como Stella e Freak Show. Os canais Nickelodeon, CMT- Country Music Television, MTV2, Logo, Spike TV, mtvU e Gametrailers.com também vão fornecer conteúdo. O VH1, por seu lado, vai estar presente com episódios de Flavor of Love, Surreal Life e I Love New York enquanto que a cadeia BET vai disponibilizar os programas Beef, DMX: Soul of a Man, Comic View e American Gangster.  A Paramount, por fim vai passar a oferecer no Joost alguns títulos do seu catálogo de clássicos.

Com esta oferta, e atendendo ao facto de ser gratuito e oferecer qualidade de alta definição, o Joost apresenta-se cada vez mais como uma alternativa à clássica assinatura de cabo. E atendendo a que se baseia em tecnologia P2P, as possibilidades de evolução (sobretudo localmente) são quase ilimitadas.

Mais uma achega para o futuro da televisão:

In five years, fifty percent of the content you watch on your high definition television will not be delivered by your cable or satellite provider but by a “youniverse” of publishing individuals connected to the Internet. As your TV gets a lot more crowded with content, your set and the boxes that connect to them will get a lot smarter with software that helps you find what you want.”

Steve Rubel, Micro Persuasion

dtv.jpg

A Democracy TV é um software open source que actua como um agregador RSS para video, permitindo visualizar no computador tanto programas de TV como videos do You Tube (ou Google Video, etc) ou downloads do BitTorrent. Estou apenas a começar a utilizar mas parece-me ter grande potencial.

(dica Micro Persuasion, claro)

InVideo – como ganhar dinheiro com videos amadores

Porquê colocar videos no YouTube à borla quando se pode ganhar dinheiro com isso? A AdBrite tem em fase beta o InVideo, um software que pemite colocar o logótipo de um produtor de videos amadores nos seus videos e possibilita que ele seja pago de cada vez que o video é visto ou linkado.

Que há uma enorme corrente de valor que está a passar não remunerada em sites como o YouTube, já o sabíamos. Esta parece ser uma primeira abordagem séria para começar a remunerar os produtores amadores de video. O futuro passa por aqui.

(uma dica Geek News Central captada neste podcast)

YouTube… na TV da sala

Como ver os videos do YouTube na TV da sala: através do site SofaTube. O que o SofaTube faz é reconfigurar os videos originalmente pensados para o ecrã do computador de forma que eles possam ser vistos na televisão da sala. Para isso é preciso que o computador esteja ligado à mesma, naturalmente. Como não o tenho, não consegui testar o sistema, pelo que agredeço feed-back.

(via Micro Persuasion)