Joost em abundância

E de repente, antes de se tornar público, o Joost abriu os cordões à bolsa dos convites. O número de convites a distribuir é agora ilimitado e portanto há um para cada interessado que deixar um e-mail válido na caixa de comentários.

Anúncios

Novos convites para o Joost

O Joost lançou mais uma versão do software (agora com ainda mais canais) e disponibilizou novos convites. Quem quiser um dos 5 convites disponíveis, faça favor de o indicar na caixa de comentários.

[ACTUALIZAÇÃO] Já não há mais convites para o Joost. Se me forem atribuídos mais voltarei a pô-los à disposição dos visitantes.

(F.C.) Porto Canal

O Porto Canal tem um cronómetro permanente em contagem decrescente para o F.C.Porto-Chelsea pelo menos desde as 67 horas (!!!) e está com directos sucessivos em estúdio, nas conferências de imprensa, na chegada do avião com a equipa do Chelsea (!!!), etc.

 Será isto a tão desejada televisão regional?

Mais uma achega para o futuro da televisão:

In five years, fifty percent of the content you watch on your high definition television will not be delivered by your cable or satellite provider but by a “youniverse” of publishing individuals connected to the Internet. As your TV gets a lot more crowded with content, your set and the boxes that connect to them will get a lot smarter with software that helps you find what you want.”

Steve Rubel, Micro Persuasion

dtv.jpg

A Democracy TV é um software open source que actua como um agregador RSS para video, permitindo visualizar no computador tanto programas de TV como videos do You Tube (ou Google Video, etc) ou downloads do BitTorrent. Estou apenas a começar a utilizar mas parece-me ter grande potencial.

(dica Micro Persuasion, claro)

Dois exemplos de manifestações híbridas (incluindo o modelo de negócio) de potenciais momentos de televisão/cinema “transmitidos” online:

Mark Cuban acha que a televisão de alta definição vai matar à nascença a difusão de video pela internet. Mas, relembrando as objecções dos puristas à “falta de qualidade” do mp3 e a forma como elas se desvaneceram no vento, Clay Shirky responde que é ao contrário: o YouTube é que vai matar a televisão de alta definição.

Uma discussão carrilada pelo Blog Notes.